Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quinta-feira, 30 de Outubro, 2008

É oficial, a data do divórcio já está marcada.

Só falta que, no mesmo dia, seja também a operação da minha mãe...

Era "dois coelhos" de uma só vez.

Só de pensar que faltam poucos dias para encerrar esse capítulo, confesso, dá-me algum ânimo.

Das duas três, ou estou a ficar louca, ou de tanto precisar de boas notícias (e de algo que "me puxe para cima") encontro-as nas coisas mais estapafúrdias. Pois que "num sabo".

 

É normal, digo eu, que agora comece a "ressacar" o assunto. Talvez por isso, nos últimos tempos, me tenha sentido tão "em baixo", com muito pouco (para não dizer nenhum) ânimo.

Também sei que a questão financeira é outra coisa que pesa imenso na minha balança, quando me refiro a tentar, psicologicamente, manter-me "em forma". E, nos últimos tempos, tem pesado mesmo muito.

 

Ando com aquela sensação (estúpida, ou não) que olho para a minha volta e não tenho onde me agarrar para me dar força e seguir em frente. Sei que é uma estupidez... mas é o que sinto.

Não estou a fraquejar. Não estou a ser "mal agradecida" a quem me tem dado a mão. Não quero dizer (ou escrever) que tudo na minha vida é muito mau.

Tenho plena consciência que (felizmente) tenho algumas pessoas em quem me posso apoiar.

Mas a história do divórcio a somar à doença da minha mãe, ao ritmo alucinante, estupidificante e demasiadamente exigente de trabalho, ao último ano (em que não tive férias, foi um "non-stop" de trabalho, também a doença da minha mãe, a doença do meu sogro, a morte do meu sogro, as coisas que, em termos de vida familiar não estavam bem...)... a verdade é que preciso, urgentemente, de respirar de alívio e saber que tudo já passou.

Para o bem e para o mal.

Sem dúvida que a assinatura do divórcio (e à partida no mesmo dia também a partilha dos bens), irá permitir-me arrumar um dos assuntos. De vez. Até vou mais leve para Inglaterra (a todos os níveis) na 5ª Feira seguinte.

 

Pois é, de hoje a uma semana, já estarei no meio do frio e da chuva.

Hoje fui comprar um "trolley" para levar - a minha mãe resolveu oferecer-mo, ela é uma querida. Mesmo no hospital, fez questão que eu levasse o cartão dela.

Ah, isto porque, sua excelência resolveu levar, das duas vezes que veio cá, um trolley dos meus pais e outro que era nosso (se quiser que fique com ele) com a roupa dele.

Obviamente que não lhos vou pedir antes da viagem. Quando voltar, peço-lhe o dos meus pais.

Estava eu a contar que comprei um trolley todo giraço que me custou metade do preço de um semelhante de uma marca muito conhecida e bem conceituada. Agora que penso no assunto, este que comprei hoje custou-me ligeiramente menos do que o "bobby" que utilizo diaramente para o computador. Boa compra! A ver vamos como ele se comporta.

A verdade é que as malas que eu tenho, são enormes...

 

Agora vou trabalhar um bocadinho antes de me ir deitar que tenho uma série de coisas que tenho de despachar. 

publicado por K às 23:17

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)