Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Sexta-feira, 14 de Agosto, 2009

Há uma série de coisas que me enchem o coração. Daquelas em que nos sentimos leves, muito leves, em que achamos que podemos fazer tudo e tudo é possível. Conseguem colocar-me numa boa disposição tal, capaz de enfrentar tudo e todos e com um sorriso maroto. Uma dessas coisas que tem a espantosa capacidade de melhorar (quando é caso disso) a minha disposição é, sem dúvida, cantar a plenos pulmões. Obviamente que tenho dó de quem está ao meu lado. Como tal, a menos que esteja num local bastante barulhento - daqueles em que para falar com o vizinho do lado mais vale fazê-lo por gestos, por exemplo, um belo de um concerto ou uma discoteca - consigo, às vezes, é certo, com bastante esforço (diria mesmo, que, por vezes, tenho muita dificuldade em segurar, de forma bem firme, a minha vontade de desatar a cantar como-se-não-houvesse-amanhã) segurar o meu ímpeto e poupar os pobres ouvidos de quem está comigo. No entanto (e foi o caso desta manhã, como, aliás, é uma situação, felizmente, bastante recorrente) quando me encontro desacompanhada, aí não há travões que segurem a minha vontade. A título de exemplo, quando estou a guiar (coisa que faço muito raramente, está visto) e se surge nessa maravilha da tecnologia que dá pelo nome de rádio, alguma música que tem aquele poder BDP... naturalmente, que canto (o termo correcto seria "berro" ou quem sabe "grito", mas toda a gente sabe que uma "menina" não faz nada disso), não até que a voz me doa, mas canto a plenos pulmões - devo confessar que, neste capítulo, ainda não notei diferença nenhuma, no que concerne à ausência de nicotina, isto é, que os meus dotes musicais tenham melhorado... na volta, não estão relacionados... será?
Isto tudo - para variar o meu poder de síntese continua bastante apurado, diria mesmo... cada vez estou melhor - para dizer: Não há nada melhor do que fazer o trajecto casa-trabalho cantando (e rindo), com uma alegria tal que nos enche o coração, logo todas as célulazinhas e nos dá ânimo, força e, claro está, vontade de abraçar o dia com outro espírito. Sim, a música (não toda, mas uma grande parte) tem esse (grande) efeito em mim.
Hoje foi com uma música da Mafalda Veiga (ahhh pois é... cada um gosta do que gosta e quem não quer... não ouve!!!), "Cada Lugar Teu" - que não só tem uma letra fabulosa, como é uma canção linda. Vai daí... deixou-me assim: feliz, muito feliz. E viva a vida!!!!

publicado por K às 09:12

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)