Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Sexta-feira, 05 de Outubro, 2012

Tendo em conta o estado de desgoverno a que chegou o nosso país - ou talvez por isso mesmo - este é um daqueles dias que não deveremos esquecer. Mesmo que deixe de ser feriado. Poderemos e deveremos recordá-lo, sempre. Foi neste dia, há exactamente 102 anos que foi implantada a república. Sendo eu adepta da república (em detrimento da monarquia) e tendo, assim, o direito (e o dever) de me pronunciar e seleccionar quem eu quero que me governe (mesmo que nos últimos trinta e tal anos tenha sido mais um desgoverno), naturalmente, é um dos dias que considero que não deve cair no esquecimento.

Ainda mais nos dias que correm. Devemos recordar, todos nós, o nosso papel na sociedade. A classe política mais do que nunca, mas não estão isolados.

 

Na questão da abolição dos feriados este não teria sido um dos que eu seleccionaria. Apesar de saber que o dia será celebrado (nem que seja num fim-de-semana), a verdade é que penso que, com o passar do tempo, irá cair no esquecimento.

 

É preciso lembrar que, segundo a história, os motivos que levaram ao golpe de estado que aboliu a monarquia estavam relacionados com:

- despesismo da monarquia (aparentemente não entendiam que o povo estava a passar grandes necessidades)

- instabilidade política com a sucessiva alternância entre os partidos progressistas e regeneradores

- subjugação aos interesses britânicos

 

Não é necessário um grande esforço para traçar um paralelismo entre o então e o agora... Senão vejamos:

- o despesismo, o descontrolo orçamental levou a que o país esteja sem dinheiro e a subida de impostos mantêm-se, com tendência a piorar a cada revisão orçamental

- a alternância partidária dos últimos anos, acompanhada de desgoverno e de despesismo trouxe-nos até aqui (sim, bem sei que ainda não atingimos a instabilidade política de outros tempos e também espero que não cheguemos a esse ponto)

- a alemanha dita as regras e nós (nossa classe política) engolimos em seco e somos forçados (todos nós) a cumprir e a calar

 

Reafirmo, sou republicana... mas não compreendo como chegamos a este ponto sem que os políticos eleitos para a função sejam chamados a responder pelas suas asneiras e sem que assumam a sua (quota) responsabilidade ao estado a que chegámos.

 

Tenho a televisão ligada, assisto, de longe, às comemorações. Há qualquer coisa de irónico, nos dias que correm e com toda a contestação que tem havido - e perante o autismo dos nossos governantes (primeiro-ministro, ministros e presidente da república) - ao verificar que hastearam a bandeira de Portugal ao contrário. Sim, efectivamente, creio que têm andado a fazer tudo ao contrário do que era suposto, atendendo aos ideais dos heróis do 5 de Outubro.

 

Tudo ao contrário, meus senhores.

 

[actualização às 11:37]

Eis o link no DN

e aqui fica a imagem que, honestamente, vale mais que mil palavras:

tags:
publicado por K às 09:34

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)