Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quinta-feira, 06 de Setembro, 2012

Não entendo, expliquem-me por favor, como se eu fosse muito burra.

O que leva uma família a estar permanentemente aos gritos?

Não falam, entre eles, só gritam, berram, insultam-se... não tem fim.

Ora o pai com os filhos (são três), ora a mãe com os filhos, ora os filhos entre eles, provavelmente entre os pais também...

Tem sido um desassossego, estes vizinhos da casa aqui em frente. Acredito que por todo o aldeamento se ouça esta chinfrineira.

Apenas quando não estão ou quando é hora de dormir (noite dentro ou sesta) se consegue apreciar o silêncio ou os ruídos normais.

 

O que serão estas crianças? E como irão ser, no futuro? E como se chega a este ponto?

Bem sei que há miúdos complicados. Bem sei que há alturas em que quase nos tiram do sério.

Mas, creio, isto é mais profundo. São já muitos dias de gritos e berros e palavrões.

 

Vidas!

tags:
publicado por K às 12:39

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)