Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quinta-feira, 19 de Julho, 2012

Quem trabalha para ingleses ou com ingleses, depressa compreende a sábia expressão há muito utilizada pelos nossos antepassados (ou não tivéssemos nós a mais antiga aliança com os ditos)

 

É que para eles - com as devidas excepções, como sempre e como em tudo na vida - muitas vezes, mais do que fazer, o importante é ficarem convencidos (entre eles) que a coisa está feita. Eles são defensores das aparências, até no que toca ao trabalho. Portanto, para eles, mais do que, efectivamente, atingir o objectivo, concretizando o que era suposto, o importante é aparentar que está feito. Servindo, desta forma, a velha expressão, "fazemos só para inglês ver".

 

Porquê tudo isto? Porque me irrita, solenemente, quando um ou outro tuga resolve aplicar, à letra, e em vez de fazer o importante é fingir que faz. Neste caso quer colocar em prática o "para português ver". E... o que é pior... é que há malta que vai atrás... isto só a mim!

tags:
publicado por K às 11:26

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)