Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quarta-feira, 04 de Julho, 2012

Uma vergonha, a ser verdade, esta notícia que tem sido divulgada.

E um desprestígio para quem tirou qualquer grau (académico ou outro) naquela instituição, para além dos professores que leccionam ou já lá deram aulas.

É só mais um (pequeno grande) exemplo da excelência que impera na nossa classe política, independentemente do quadrante partidário.

Vergonhoso!

 

Sim senhora, alegam que foi cumprida a legislação e que ao Miguel Relvas dado o seu passado profissional, foi-lhe atribuída uma série de equivalências, originando que concluísse o curso num tempo (recorde?) de um ano. Parabéns! Estamos perante um génio.

Pelo menos, parece, que não houve um exame de inglês técnico a um Domingo... parece.

 

Há uma série de coisas, em tudo isto, que eu não entendo e que me fazem bastante confusão.

A primeira é achar-se que alguém só pode ser alguém se tiver um curso superior. Quantos conheço que são doutorados e são uma nulidade a quase tudo!

 

Depois, se alguém se matricula em determinado curso (pós-graduação, etc.) é, certamente, com o intuito de aprender algo, de viver aquela experiência. Caso contrário, creio, haveria outras formas de ocupar o seu tempo. Agora... não terá sido essa a ideia, neste caso.

Eu dou por mim a pensar no curso (pós-graduação) que resolvi fazer este ano (e que tenho estado a fazer)... ora, se até algumas das coisas eu já faço, no meu dia-a-dia profissional, quereria dizer que poderia ter tido equivalência a essas disciplinas, não precisando de as frequentar? De ouvir os professores? De estudar para os testes? Era isso? Mas, se eu já sabia tudo, por que raio teria eu escolhido este curso?

 

No meu (fraco) entendimento, se eu quero aprender mais (e saber fazer melhor), escolhi aquele curso, naquela instituição (por diversos motivos) e, mesmo que, em algumas disciplinas eu já faça, habitualmente, aquelas matérias, eu vou querer saber se há outras formas (melhores!) de executar aquelas funções. Por isso decidi inscrever-me (e frequentar) o curso.

 

Mas isto sou só eu e todo o meu mau feitio. Naturalmente que faz muito mais sentido, pagar-se para se ter um papel a atestar que somos capazes de fazer isto ou aquilo, só porque, no passado já o fizemos. Bem ou mal... isso não interessa nada!

tags:
publicado por K às 13:06

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)