Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Sábado, 09 de Junho, 2012

Há diversas forma de lidar com o sofrimento. Com a ausência de quem nos é querido. Nenhuma certa ou errada. E não há receitas miraculosas para se ultrapassar toda a dor que nos invade. Vale-nos o apoio de quem nos é querido e de quem, seja de que maneira for, nos vai dando algum ânimo.

Hoje almocei com o meu pai - tenho andado filha desnaturada e não estava com ele há mais de 3 ou 4 semanas, mesmo falando todos os dias com ele - achei-o muito mais magro (provavelmente já estava antes, mas não tinha ainda reparado).

Ele tem sofrido muito, antes, durante e depois. Estes dias não têm sido nada fáceis para ele. Apesar de encontrado alguns entreténs, ter reavivado outros, de se encontrar com amigos. Imagino que, em alguns momentos, a coisa seja mesmo muito difícil. Temos de ter calma. Um dia atrás do outro. Fez-me alguma confusão ele estar tão magro - não é que lhe fique mal, porque a verdade é que em tempos já esteve bem gordinho. Principalmente porque associo, logo, ao estado de sofrimento que ele deve estar a sentir. E isso, naturalmente, deixa-me triste. Há que ter calma.

tags:
publicado por K às 15:53

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)