Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Segunda-feira, 10 de Outubro, 2011

Parece que, afinal, as coisas não estão assim tão más. Até estão significativamente melhores. Lá conseguiremos respirar de alívio mais um pouco. É claro que isto são óptimas notícias e bem que precisamos delas.

O fds, para não variar, passou num ápice.

Entre visitas ao hospital ainda conseguimos:

- ir a Sintra matar saudades.

Os travesseiros continuam uma agradável tentação. Da piriquita, pois então.

 

- andar de kart - há quanto tempo não o fazia... nem que quero lembrar, mas foi, sem dúvida, no século passado - e bem me diverti. Quase todos com comportamento irrepreensível, excepto um caramelo, armado em camelo, que, ficava todo picado quando eu o queria ultrapassar. Tinha comportamento anti-desportivo do piorio (nem deixava passar os da frente, que lhes estavam a dar voltas de avanço). Mas, como em quase tudo na vida, diz que a paciência é uma virtude. Pois, entre mil e um defeitos que tenho (e assumo quase todos), é com orgulho que assumo ter imensaaaaaa paciência. Resolvi que ia ficar colada ao camelo, à espreita do erro que ele fosse cometer e, claro, sempre a pressioná-lo, para ver se a coisa acelerava. Naturalmente, numa curva, lá fez o belo do pião. A K. passou, na boa e... nunca mais ele me viu. Coitado! Foi o único rapaz a ficar no meio das raparigas. Aquilo deve ter doído no seu orgulho de macho. Tanto no aquecimento como na prova fiquei em 11 (de 15). Nada mau para quem não corria há tanto tempo. Giro foi que o meu melhor tempo foi na penúltima volta (quando estava a tomar o jeito e a perder o medo, está visto).

 

- depois dos karts ainda resolvemos ir jogar futebol. Também aqui, nem que quero recordar há quanto tempo não o fazia. Estava tudo a correr bem até que outro caramelo, também armado em camelo ou em cão com pulgas, resolveu pregar-me uma rasteira. Lá vai a K. ao chão, esfola braço e mãos. Só não fiz mais mazelas, porque, felizmente, estava de calças. Estúpido do gaijo! Depois, quando estava à baliza - basicamente, não tinha fôlego para correr nem mais um metro - o mesmo estúspido resolve rematar à figura (eu!) com um petardo que só visto. Sim, defendi. Mas fiquei com uma nódoa negra que não vos passa pela cabeça. O que será que esta malta tem na cabeça? Ar? Ar rarefeito? Vácuo? Enfim, para o final deixei entrar um granda frango... mas, no geral, a coisa foi bastante positiva. (à parte dos camelos)

 

Agora é mais uma semana sem parar, pois então, é para isso que servem.

 

[nota: os termos utilizados neste post não foram uma mera coincidência ou tão pouco desleixo]

tags:
publicado por K às 18:08

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)