Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Terça-feira, 07 de Abril, 2009

Desculpem lá, preciso de desabafar. O blog é meu, acho que posso.
Imaginem, hipoteticamente falando, claro, a seguinte situação:

Com o divórcio, alguns dos serviços que me são prestados aqui em casa tiveram de passar para o meu nome (eu fiquei com a casa, logo eu é que precisava deles). Imaginem que um desses serviços em que fomos tratar de alterar a titularidade informaram que: não se tratava de um novo cliente, porque a morada é a mesma, os serviços mantêm-se, os equipamentos são os mesmos... logo não é um novo cliente, não tinha direito às promoções de "novo cliente". Perguntei logo, nesse caso teria direito às "vantagens" dos clientes já existentes. A que me responderam afirmativamente. Até posso aceitar as justificações que me deram na altura. Entretanto não havia maneira de me chegarem as "vantagens" dos clientes já existentes. Cada mês que passava era informada (por pessoas diferentes mas no mesmo local) que estava um pouco atrasado, mas que no mês seguinte viriam.

Hoje resolvi ligar para a linha de apoio ao cliente. Sou informada que, afinal, eu sou um novo cliente e que não tenho direito (para já) às "vantagens" dos clientes antigos. Explico todo o processo - é absolutamente inútil porque as pessoas do outro lado da linha limitam-se a responder às questões "pré-preparadas", tudo o que foge disso... esqueçam, parece que estamos a falar com paredes (o meu mau feitio está muito apurado). E que não havia nada a fazer.

Como não sou de me conformar, enviei um e-mail de reclamação. Nem meia-hora depois recebo um telefonema de resposta (é giro que nem escrevem a resposta) a informar que é mesmo assim: sou um novo cliente. Ah e relativamente às promoções de novo cliente que eu no usufruí? Sabem qual foi a resposta? "Que deveria ter negociado na altura". Acham normal?!?! Eu não!!! Então se um colaborador de uma empresa me está a prestar determinado tipo de informações: nomeadamente quais as minhas hipóteses, eu tenho razões para não acreditar / duvidar / tentar regatear? Estamos a falar de uma empresa prestadora de serviços, não de um feirante em Marrocos!!!!!

Como não negoceie na altura as promoções, agora já é tarde. Em resumo: perco em todos os sentidos. Nem as promoções de novo cliente, nem as vantagens dos clientes mais antigo. E acham que a forma de resolver a questão é informarem-me disso e pronto, está tudo tratado. O cliente sente-se enganado, mas não há problema nenhum. Azareco para ele. Foi ingénuo, coitadinho do cliente, mas ninguém o manda ser.

 

O que fiz? Voltei a reclamar, afirmando que não era forma de resolverem uma questão que eles criaram e que iria agir em conformidade. No limite, se me obrigarem a permanecer até fazer um ano, vou reduzir ao máximo os meus serviços e fazer a maior propaganda de descontentamento que puder junto dos meus amigos.

E assim continuamos a tratar os clientes no nosso país maravilhoso. Não há dúvida. E eu que achava que eles estavam bem melhores do que há uns 3 anos atrás... é triste ver que estava muito enganada.

 

Já chega de mau feitio... é o dia correu-me tão bem, mas tão bem... não vou deixar que estes caramelos mo estraguem.

tags: ,
publicado por K às 22:42

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)