Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Sábado, 09 de Abril, 2011

A tarde de ontem não foi grande coisa. Vermos o quão fraco está alguém que nos é tão querido, de quem gostamos tanto é desolador. Quando, quase na despedida, cai ao chão - na altura em que éramos nós o seu suporte e apoio - felizmente sem se magoar, mas nós, impotentes, não conseguimos auxiliá-lo a reerguer-se. Chamamos, gritamos por ajuda, mas ninguém nos vale. Tentamos, uma vez mais, o impossível, e constatamos que, sozinhos, não seremos bem sucedidos. Observamos os braços frágeis a tremer, perante o esforço de suportar o resto do tronco; os joelhos assentes no chão, mas também eles, a quererem fraquejar. Está a ser duro, muito. Em especial para eles. Eu deixo-me logo ir abaixo perante uma cena como esta; não ali no momento, naquela altura o importante é permanecer calmo e resolver a situação. Quando tudo já passou, aí sim, vem o descarregar de emoções. Faz parte.

O dia seguinte, hoje portanto, será melhor. Espero. Do que já pude apurar sim, as coisas estão mais calmas - depois daqui, ontem ainda, passaram pelo centro de saúde e a médica, depois de observá-la, assegurou que, à partida, não existe qualquer infecção pulmonar (ontem esse fantasma chegou a pairar em cima de nós).
Sim, a fraqueza e tudo e tudo não vai desaparecer assim.
Sim, tenho de levar as coisas com calma, um dia de cada vez, um atrás do outro.
Sim, eu sei tudo isso. Mas há momentos em que nos sentimos fraquejar. Ninguém é de ferro - ou poucas pessoas são (no meio de tudo isto, quase que me sai uma piada, nem tudo é mau!).
Hoje já é o outro dia. Hoje vai ser melhor, mais a mais é Sábado. Não está um dia radioso mas, para mim, será um dia fabuloso.

tags:
publicado por K às 11:44

Ninguém é de ferro mas também ninguem disse que tinhas de ser.
És humana e como tal tens todo o direito a vacilar.
O importante é depois teres a capacidade de te reergueres outra vez.
Um dia de cada vez...

Beijinhos grande :)
Lisete a 11 de Abril de 2011 às 09:51

:) É isso mesmo, conseguirmos continuar, mesmo com todos estes embates, mesmo que, por vezes, as forças nos queiram pregar algumas partidas, o importante é não baixar os braços!
Um beijinho grande para ti!
K a 11 de Abril de 2011 às 13:42


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)