Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quarta-feira, 01 de Dezembro, 2010

Ontem foi um dia em cheio. Após o trabalho, jantar com um dos "gangs" para fazermos o sorteio do amigo mistério. Para variar tivemos de repetir umas 5 ou 6 vezes, até que não saísse ninguém o seu nome ou da sua cara metade. Sempre muita galhofa. Soube mesmo bem. Depois voei para a festa de aniversário do Silk. Cheguei a casa já passava das quatro. Às sete e meia deixei a CF no aeroporto. É um facto dormi cerca de duas horas, que escândalo! Às nove, tal como combinado, compareci em Alcântara, no banco alimentar. Dar um pouco (muito pouco) de nós, voluntariamente, por uma boa causa, em especial tendo dormido tão pouco, faz-nos sentir muítissimo bem. Depois das campanhas de angariação do fim-de-semana passado, era necessário auxiliar a distribuição, por géneros. Fiz de tudo um pouco, naturalmente, de acordo com as necessidades da hora. Acabei por ficar mais tempo na mesa do arroz. Sem dúvida, uma das que tinha uma maior quantidade de géneros alimentício (palavrinhas que adoro, by the way). Parei quando o cansaço levou a melhor. Quando estava prestes a sucumbir. Doía-me tudo. E digo mesmo TUDO. Quando já quase nem tinha forças para andar. - Porque será que levo sempre quase tudo até ao limite? Por desconhecimento (do dito valor máximo)? Irreverência? É uma forma de tentar melhorar? Não faço ideia. Mas enquanto guiava a caminho de casa, vinha a pensar nisso. - Desliguei os "tufones" todos. Não estou para ninguém. Depois de almoçar qualquer coisa e como não consegui adormecer, comecei a achar que talvez estivesse com sintomas febris, resolvi tirar as teimas. Confirma-se estou com quase 39 ºC. Será de ter dormido pouco? Estará associado à dor de garganta que desde ontem à noite, ou melhor, esta madrugada, com alguma chuvinha que apanhei, à saída do silk. Não faço ideia. Se calhar é tudo junto.
Odeio este estado (febril). Ainda para mais, sou daquele género de pessoas que com 37,5 ºC já quase não me aguento em pé (daí ser muito raro atingir os 38 ºC ou qualquer coisa acima disso). Após tomar dois ben-u-ron, acompanhados de tangerinas "biológicas" (do meu pai), espero, a febre comece a baixar e consiga descansar alguma coisa. Vidas.
Ah... o que eu não dava para ter, agora, uma massagem daquelas bem relaxantes... com especial atenção à zona lombar - creio que não há ponto que não esteja a ressentir-se.

É nestas alturas, em que estamos adoentados que sentimos mais falta de mimo de alguém - daquele bom - pode ser da mãe, do pai, namorado, whatever. Mas, como estamos com as defesas em baixo, meio zombies, sabe bem ter alguém a dar-nos uma força. Nem vou preocupar os meus pais com esta febrinha - galinhas como são, eram capazes de rumar, ambos, para aqui, sem mais demoras. O que seria, claramente, um grande exagero.
Bem, vou ali esticar-me no sofá, a ver se consigo descansar. Creio que as "bombas" já estão a fazer efeito. Já me sinto um tudo nada melhor. Não tarda, já terá passado tudo.

publicado por K às 15:02

tu de facto não sabes conjugar o verbo parar! :-)
beijo grande miúda *melhoras, rápidas*
Shadow a 1 de Dezembro de 2010 às 15:37

'bigada. Sim, isto vai passar. "Vaso ruim não quebra" ;)
beijinhos

Já consegues circular? ou aindas estás a sofrer os efeitos da neve?
K a 1 de Dezembro de 2010 às 19:11

Hoje que era um bom dia para nevar, nem vê-la (à neve)! Ficou só (ainda mais) o frio e uma constipação para curar...
Como diz alguém: Vidas! heheheh
Shadow a 1 de Dezembro de 2010 às 19:28

As melhoras Shadow!
O a 2 de Dezembro de 2010 às 13:40


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)