Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Segunda-feira, 29 de Novembro, 2010

Venho apelar à vossa imaginação. Vão ter de fazer um esforço enorme. Exige demasiada concentração. Sim, eu sei que é 2ª Feira, mas é uma excelente maneira de exercitarem os vossos neurónios.
Estão concentrados? Então tentem imaginar a seguinte cena: um dos bairros típicos Lisboeta; daqueles em que o acesso do trânsito está condicionado e, inclusivamente, em algumas das entradas têm um daqueles "pinocos" (alguém sabe o nome oficial daquelas coisas?) que baixam para alguns carros passarem e depois voltam a levantar-se. Estão a ver o que estou a referir? Agora imaginem-me a guiar o meu carro destemido e comigo estão dois amigos, P. e D. Todos com excelentes qualidades visuais, visto que somos adeptos confessos dessas maravilhas que dão pelo nome de lentes de contacto. Aproximo-me do tal pinoco - enquanto conversava com o meu neurónio "deixa ver se este é dos que baixa quando nos aproximamos" - verifico que ele retrai-se, pelo que resolvo avançar com o meu carro. Nesse preciso momento, tanto P. como D. aos gritos, quase, a tentarem chamar-me a atenção para o pinoco. E eu, a pensar se ele já estaria a "levantar-se" (mesmo não tendo tido tempo para tal). Mas, resolvo avançar na mesma - porque não o vejo. Ah isto tudo com uma aparente calma. Juro. É nestas alturas que nos surpreendemos. Poderemos achar que somos assim ou assado, até passarmos por algumas situações e vermos como agimos na hora "h". Eles lá continuavam: "K. olha o pinoco!".
Claro que o carro passou, sem qualquer problema, e depois verifiquei que o pinoco lá voltou à posição inicial. Eis, então, chegada a altura de confrontar os ocupantes do meu carro. Estavam a queixar-se que quase os matei do coração. E que há imagens no you tube de malta que danificou camiões e carros com pinos destes. E blá, blá, blá. É certo que sou um tudo nada distraída - não sei se já tinha dito? - mas o que eles estavam a esquecer de referir é que com a reacção que tiveram quase me mataram do coração. Não, eles não sabiam que alguns pinocos baixam com a aproximação dos carros - e que culpa tenho eu disso?
Claro que agradeço a preocupação. Mas... e os cabelos brancos que germinaram devido ao susto que eles me pregaram? Ah e para que conste, eles é que se queixam do susto. Quem estava a guiar? A quem é que nunca devemos gritar nem coisa que tais? I rest my case.

publicado por K às 13:56

LOL !!
Até apetece dizer, que contigo não há "pinoco " que resista:)))

PS: Mas atenção ao que os teus amigos te disseram. Há muito boa gente que já desgraçou carros nesses malditos....pilares hidráulicos com mecanismo pistão:))
Pedro a 30 de Novembro de 2010 às 10:54

Eu não duvido, nem por um bocadinho, que eles possam ter razão. Mas o susto que me pregaram - e parece que foi recíproco - é que ficará para a história.

Adorei o termo ciêntífico.
Muito obrigada - já aprendi (mais) uma coisa hoje ;)
K a 30 de Novembro de 2010 às 11:39

As coisas que tu sabes..... lol
CL a 30 de Novembro de 2010 às 19:52


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)