Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quarta-feira, 17 de Novembro, 2010

Saio do escritório poucos minutos depois das seis (da manhã), após um dia inteirinho, noite e madrugada a terminar o dito relatório. Já me doía tudo. Ou quase. Pelo menos, tinha a satisfação do dever cumprido - a que custas, mas a vida é mesmo assim. Chego à porta da garagem de minha casa e... constato que o portão não abre. Sim, o comando tem pilhas (até porque acende a "luzinha" quando pressiono o respectivo botão). Sim, estou a carregar no certo. Se bem que aquela hora e com o facto de não ter dormido, por via das dúvidas, pressiono o outro (botão) também. Nada. Lá fora está meio a chover - não é aquela chuva torrencial, também não é a chuva molha parvos... algum no meio - logo, não me apetece, depois de uma noite destas, deixar o carro a milhas e ir ao frio e à chuva para casa. Fico à porta, a ver se alguém surge, nem que seja do lado de dentro. Entretanto já são 06:40, não tarda começará a azáfama de quem vai trabalhar, depois do descanso merecido. Cada minuto à espera é menos de sono que vou roubando. Telefono para o Vigilante. Aparece-me uma voz feminina. Lindo, K., voltaste a fazer das tuas. Tens o número errado. Isto lá são horas para ligar a alguém? Vá lá que a pessoa do outro lado não te tratou mal, ou chamou nomes (pelo menos comigo a ouvir) e até foi bastante compreensiva. Deve ser das que tem bom acordar. Entretanto apercebo-me que do lado de dentro está, também, um carro a querer sair. Claramente tem o mesmo problema: o portão não abre. Bonito. Isto só a mim. Quando estou quase a adormecer ao volante, surge o Vigilante e lá vai abrir o portão "à mão". São sete horas quando entro em casa. Tento não pensar na reunião que vou ter às 09:30. Será pouco mais de uma hora de sono. É o que se arranja. Sempre é melhor do que nada.

Dormi uma hora e treze minutos. Ao início parecia que tinham sido seis - agora, passadas algumas horas e com o andamento do dia, claramente, o cansaço está a apoderar-se de mim. Não se percebe! Ao fim de tantos dias a "roubar" horas de sono, com o ritmo a que andas. Não se percebe. Mesmo!
Lá fui à reunião das 09:30. Já regressei ao escritório. E também já almocei. Achei piada porque uma das senhoras da cantina que estava a chegar quando eu estava a sair de manhã, reconheceu-me, naquela altura - eu demorei um bocadinho mais a raciocionar quem seria (mas tinha desculpa). Agora, comentou comigo que me tinha visto às seis da manhã, quando chegou. Sim. Era eu. E expliquei que estava com um bocadinho de sono, daí não a ter reconhecido logo.

Vamos lá então ao resto da tarde.

publicado por K às 12:28

Vou ser brevíssimo:

1- Com a vida que andas a ter, sugiro-te este senhor. Sabes quem é?

http://2.bp.blogspot.com/_a2O0lPKSIro/RhPKvQMfrcI/AAAAAAAAAEE/y_drQTnpmhw/s320/alexandrino.jpg

2- Por coincidência, embora por razões diversas, a chuva que apanhaste no carro, apanhei-a eu em plena tr....cara. E bate certo pois não era bem uma molha parvos...qualquer coisa no meio. Os teus conhecimentos taxonómicos são assustadores.

3- Mas que disparate, desculpa K, dormir quando só se tem 1 hora e picos. Por experiência própria, quando o faço, acordo com a boca a saber a papéis de música e um doloroso latejar na cabeça. Como se o meu único neurónio decidisse andar de saltos altos. Mas olha não somos iguais....melhor ninguém é perfeito:))


O a 18 de Novembro de 2010 às 10:50

Eu já estava era a estranhar a tua ausência... ;)

1 - Não sei de quem se trata. Mas, creio, será preferível continuar na ignorância, a julgar pela amostra.

2 - É para veres que não minto
Quanto aos meus conhecimentos taxonómicos... nem tu imaginas! É isso e muito mais ;)

3 - Há muito que deixei de ter esse desprezo por dormir só uma hora - é a chamada necessidade. Houve uma altura em que pensava como tu. Agora... se conseguir dormir mesmo que seja uma hora, em situações deste tipo, é melhor do que nada. E, por vezes, parece, mesmo, que dormi umas 4.
K a 18 de Novembro de 2010 às 13:39


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)