Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quarta-feira, 10 de Novembro, 2010

Imaginem o vosso dia mais negro, profissionalmente falando. Aquele em que tudo e eu digo TUDO corre mal. E quando vocês acham que mais nada vai correr mal, vem alguém vosso superior e consegue piorar o vosso dia... por quatro vezes, seguidinhas. Estão a ver o filme? Então multipliquem por três e terão uma ideia do meu estado de espírito após um dos piores dias da minha vida, profissionalmente falando. E o pior não é as coisas correrem menos bem. Isso acontece, volta na volta. Faz parte. É mesmo assim. Há dias em que o que têm pela frente, nem sempre corre como se espera. O pior e a razão de ter ficado tão perturbada - a palavra correcta a empregar seria transtornada - foi precisamente a atitude da minha chefia. E fiquei de tal forma - como nunca até aqui tinha estado, em termos profissionais - que temi tomar alguma decisão com a cabeça quente. Por duas ou três vezes estive para carregar num botão mágico. Felizmente, apesar do raciocínio estar afectado, o bom senso levou a melhor sobre a sensibilidade: não tomar decisões deste tipo (desta importância), nem passá-las à prática com a cabeça quente. Nunca jamais em tempo algum. Mas, tenho de admitir, hoje estive quase a fazê-lo e por mais do que uma vez. O que é preocupante, sem dúvida. Mas, a verdade é que fiquei bastante transtornada.

Com o fechar do pano, as coisas foram faladas. Algumas esclarecidas. No entanto, temo que o golpe da ferida, muito fundo (porque já vinha acumulando de outros confrontos) demore a cicatrizar - e será que alguma vez irá sarar?

Eu estou longe de ser uma pessoa perfeita, felizmente. E tenho os meus defeitos, todinhos e não faltará nenhum. Agora, há determinado número de coisas que - sabendo que não é verdade, logo sinto-me injustiçada - que mexem muito comigo e ODEIO falhar, não cumprir. ODEIO. Apesar de ter reconhecido que a postura não tinha sido a melhor, a verdade é que a profundidade do ferimento criado foi bastante acentuada. Claro que é menos mal (o admitir que não tinha sido a melhor postura). Mas... será suficiente?

O que me vale é que não tarda o meu dia vai fechar da melhor forma. E já não falta quase tempo nenhum. Voltarei com as baterias carregadas. Assim espero. Até mais logo.

tags:
publicado por K às 19:55

Se conseguires - e reforço o SE - faz ligação à terra...
bj grande
CL a 10 de Novembro de 2010 às 23:32

Estou a tentar. Acredita. 'bigada ;)
K a 11 de Novembro de 2010 às 08:41

Olha, nem sei o que te diga, outra vez. Mas é verdade.
Tens tido uns dias, semanas, tramados. Acontece a todos. Como a CL, aconselho-te a fazeres ligação à terra e procurares compensação nos que te são mais queridos. Ou então mima-te a ti mesma. Compra uma água de colónia carrrrrrrrrrrrraaaaaaaaaaa, uma carteira, um relógio, sei lá . Não faças é como eu, e ir para as Berlengas do Martim Moniz, beber umas loiras (espero que tenhas sorrido)
Bj
O a 11 de Novembro de 2010 às 20:03


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)