Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Domingo, 24 de Outubro, 2010

Por falar em arrumar a casa - e como estou imbuída de preguicite aguda, se calhar é crónica, aqui refastelada no sofá, em vez de ir fazer as trocas e baldrocas das roupas - ontem, finalmente, atendi a um pedido da minha mãe. Há anos que, volta na volta - com toda a razão, atenção - me chateava o juízo porque eu não dava destino a uma série de caixas que por lá andavam. E que não podia ser, que ela precisava do espaço. Apesar de ter toda a razão, insisto, não deixa de ser caricato que numa casa daquele tamanhão, com imensa coisas de ambos (os meus pais), venha reclamar comigo por ocupar uns singelos 5% do espaço. Mas, enfim. Ah, e depois, como ela sabe fazer a coisa, começou com a chantagem. Que sim, que podia fazer lá o almoço com o gang, mas primeiro tinha de dar um destino às caixas. Pronto, venceu-me pelo cansaço. Lá andei ontem a (re)descobrir e a (re)visitar o passado. 90% do que tinha dentro das caixas foi tudo, tudinho, para a reciclagem. Sebentas e apontamentos dos tempos de faculdade. O resto ficou. Entre livros da primária (que folhei e recordava, ainda, algumas coisas - impressionante), testes do colégio, etc. Agora estou a ficar preocupada. Faltam-me uns livros (absolutamente sagrados) que julgava estarem ali. O meu pai logo me sossegou, que devem estar noutro local e que ontem já não dava para lá vermos, mas podemos deixar para outro dia - cheira-me que querem que eu não perca o embalo - o que eu quero é re-encontrar esses livros.

Sabe tão bem andar a limpar e a seleccionar o que fica e o que vai. Quando me dá estes "repentes", geralmente a coisa vai mesmo a eito. É uma limpeza e tanto. Ah e ainda não a fiz cá em casa. Apesar de já ter começado no fim-de-semana passado. Mas, estou no bom caminho.
Agora vou ali tomar o pequeno-almoço, que isto preguiçar de estômago vazio não dá com nada.

tags:
publicado por K às 09:24

Olá K!
Também eu ganhei coragem há 15 dias para arrumar a casa e fazer a cama de lavado:)) Felizmente já não tenho de fechar à chave a porta do quarto, com medo que de todo aquele cotão surgisse vida:))
Fiquei com curiosidade de saber que livros sagrados são esses. E não me diga que são livres técnicos, please:))
O a 24 de Outubro de 2010 às 18:13

Eu chamo limpezas de fim de Verão. E gosto de fazê-las (mas tenho de estar com o espírito certo).
Os livros não são nada de mais - e não, fique descansado, não são técnicos - são os livros que me despertaram para o prazer de ler, foi com eles que iniciei o "vício" - daqueles dias em que não se faz mais nada, senão continuar, ou quem sabe terminar, o que estamos a ler? - gosto deles mais por valor sentimental. Mas gosto. E daí ter ficado preocupada - não vá estarem num local que não é o mais aconselhável para os manter.
São livros que as raparigas do meu tempo (LOL - apesar de alguns serem intemporais) liam naquela altura, nada do outro mundo: - Patrícia e Condessa de Ségur.
K a 25 de Outubro de 2010 às 09:20


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)