Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Segunda-feira, 11 de Outubro, 2010

Estou cada vez mais estupefacta com as opções que se têm tomado. Quase todas bastante peregrinas, diga-se. Então não é que a MAC (Maternidade Alfredo da Costa) começou a implementar uma medida, que o governo tinha dado indicações em Agosto, e que só comparticipa com 1 tratamento de infertilidade por casal e por ano? Será que se esqueceram que estamos com um problema, gravíssimo, de natalidade? E depois de em 2009 terem avançado com a óptima ideia de comparticiparem dois tratamentos por ano por casal. Mais, às mulheres que no próximo ano completem 40 anos (e já não podem fazer o tratamento) não há qualquer tipo de excepção: também essas só têm direito a um tratamento. Louco. Está tudo louco, é o que eu vos digo. E cada vez mais me irrito com esta malta toda. Claro que se está mesmo a ver que resolveram cortar nas despesas. Hello? Já agora vamos também cortar no ar que respiramos, só para poupar uns trocos. Ah, mas não pode ser muito... senão morremos, isso é que era uma poupança!

Este tipo de coisas tira-me do sério!

Fiquei assim depois de ler a notícia aqui - se eu já estava com mau feitio... pior fiquei.

tags:
publicado por K às 21:24

Tem toda a razão K! Mas o problema da natalidade surge, na minha opinião, intimamente associado às conquistas feministas dos anos 60- contracepção, direito ao aborto e a abertura do mercado de trabalho às mulheres- e a toda uma cultura egoista que visa o seu prazer imediato, não estando dispostos a sacrificarem a sua suposta qualidade de vida pelos "gastos" que os filhos implicam. Mas também aos baixíssimos salários praticados em Portugal, para além da precariedade laboral, que obrigam os casais a "esperarem" mais tempo para ter filhos-associado aos horários estapafúrdios que muitos de nós temos. E se há sentimento pungente e revoltante é um casal podendo ter filhos, ser obrigado a protelar, ou mesmo desistir de os ter, devido a conjunturas não biológicas, mas sim socio - económicas.
E o que é curioso é que quando ouço falar na viabilidade de Segurança Social, aponta-se apenas para a inexistência de uma substituição geracional, mas nunca para as suas causas. Este modelo económico é perfeito, se não fosse conduzir-nos a longo prazo para a extinção da espécie e do planeta (também não deixa de ser irónico falarmos apenas na crise financeira e muito pouco na crise ambiental-como se o Homem pudesse sonhar a sua sobrevivência independentemente das leis da Natureza-talvez esta arrogância provenha da falsa segurança a que a Ciência nos habitou-aliás quando queremos emprestar seriedade aos estudos dizemos serem eles cientificos, mesmo quando o não são).

K, desculpe a pergunta,mas de acordo com a nossa conversa de ontem, sobre filmes, já viu o "Labirinto do Fauno"?

Bom diaaaaaa de trabalho
O a 12 de Outubro de 2010 às 12:50

já vi que concordamos em algumas coisas, outras nem por isso... ;)

ainda não vi esse filme, a ver se coloco na minha lista dos "a ver", se mo está a recomendar irei seguir a sugestão.

e um óptimo dia de trabalho também para si, meu caro, O. Espero, sinceramente, que esteja a ser bem melhor do que o meu (que já viu melhores dias). Vidas!
K a 12 de Outubro de 2010 às 13:44

Então!!! Se hoje não está a correr tão bem como deseja, espere pelo dia de amanhã. E se não for amanhã, então será depois de amanhã.
Tudo de bom para si:)
O "Labirinto do Fauno" é sobre uma criança que procura fugir aos maus tratos de um padrasto, Tenente Coronel da exército de Franco (passa-se na Guerra Civil Espanhola), através da criação de um mundo fantástico onde é feliz-mais ou menos como acontece com todos os adultos com personalidade múltipla-falo daquela de tipo patológico, não das nossas:)- Regra geral foram abusados em crianças, existindo uma despersonalização aquando dos abusos.
O a 12 de Outubro de 2010 às 16:45

As coisas que eu aprendo consigo, meu caro O.
Gostei do detalhe - das "nossas" personalidades múltiplas (sim, de facto e felizmente, eu não tive qualquer problema desses, ou similar, na infância).
Ok, está na lista. Só não prometo que seja visto em breve. Não referi o tamanho da lista. Mas... não costumo falhar ;)

Estou quase a entrar no estágio para o jogo. Vou ter um "gang" simpático cá em casa a torcer pelo mesmo. Bom resto de tarde!
K a 12 de Outubro de 2010 às 18:37

Ainda bem!
Olhe para a animar ainda mais vou-lhe contar o que me aconteceu hoje:
De manhã tive aqui um senhor com um Malamute do Alaska (tipo Husky, mas com 50 kg), que me dizia constantemente durante a consulta:
-Dr, não sou obsessivo com a saude, aliás tenho diabetes. Mas em contrapartida tenho uma prosta de bébé. Pelo menos foi o que o médico me disse
(prosta de bébé foi o que ouvi para aí umas 50x durante a consulta)

Noutra consulta:
- Dr, sofro dos rins! Sabe porque é que o meu urologista me recomendou comer carne velha?
-Não faço a minima ideia

K onde é que se compra carne velhA (vai-se a talho e diz-se :-quero carne velha!- o que é um problema porque a carne que se vende é de vitela:)

E BIBA O BENTO
O a 12 de Outubro de 2010 às 19:36

LOL
LOL
LOL
Já me ri a bom rir, O. Lindooooo!
Vá por mim: comece a escrever o seu dia-a-dia e vai ver que vai fazer um grande sucesso
K a 12 de Outubro de 2010 às 20:23


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)