Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Terça-feira, 30 de Março, 2010

Pode não parecer, mas sou daquelas pessoas que, geralmente, consigo desenrascar-me, mesmo nas situações que, à partida, parecem ser mais complicadas. E o que sucedeu hoje? Antes de entregar o carro de substituição, tinha de o atestar. Pois parece que o ibiza e eu não falamos a mesma língua. Porque tentei (e quando eu digo que tentei é MESMO) quase todos os "truques" e manhas de outros carros: abrir e fechar as portas todas, com a chave no "tampão do gasóleo" - parecia mesmo uma tonta na bomba de gasolina. Experimentei rodar para um lado, para o outro. Nada. Fui ao livro de instruções e fiquei logo elucidada: rodar no sentido anti-horário (claro que sei o que é) - simplesmente não funcionava porque o modelo do carro que eu tinha era diferente. Isso ou fizeram uma alteração qualquer ao carro. Lembrei-me que o tipo (o tal ignorante e que chegou atrasado) me tinha dado o número de telemóvel - para o caso de ser preciso. Fiz-me de loira e liguei a perguntar como se abria o depósito do combustível. Disse que tinha de rodar com a chave para um lado, enquanto que, com a outra, segurava o "tampão do gasóleo". Ah, fiquei esclarecida e achava, tinha conseguido levar a melhor. Engano, puro engano. Na tentativa seguinte, nada. Mesmo nada. E o que é pior é que continuava a insultar-me (naturalmente para dentro: já chegava o espectáculo que estava a proporcionar). Sim, sem dar parte fraca e sempre com aquele ar "eu sou menina, não percebo nada disto" - constato, com horror, que a oficina está quase a fechar e eu de volta do tanque de combustível. Saio mesmo sem abastecer. Quando estou quase a chegar ao local onde vou buscar o meu peugeot (e deixar o de aluguer) passo por outra bomba de gasolina (cuja existência nem me lembrava). O.k., derradeira tentativa. Qual a minha sorte? Era daquelas bombas em que alguém abastece por nós - nem sabia que em Lisboa ainda havia destas. Enquanto procurava o cartão multibanco na mala, o rapaz já estava a abastecer - como se realmente fosse uma coisa bastante complicada, abrir o depósito de gasóleo do ibiza, K. , realmente! Senti-me tão tonta. Claro que não disse nada - era o que mais faltava. Saio do carro para pagar, constato que o desgraçado tinha entornado gasóleo (sim, que eu paguei, não vamos por aí agora). Ainda lhe peço desculpa porque não o avisei que o tanque estava quase cheio (e estava mesmo). Isto tudo porque o raio do carro tinha um sistema qualquer de suposta "segurança" que eu não consegui dar com ele - fora isso, continuo a gostar imenso do carro e do modelo.
Consigo chegar a tempo à oficina - antes que a fechem. Dizem que resolveram as minhas queixas - a ver vamos. Enquanto venho para casa constato que em termos de limpeza do carro - e nem sou muito picuinhas com isso, mas quando alguém, supostamente, limpa o carro (por dentro e por fora) há coisas básicas que devem ser atendidas e, não têm sido, das últimas vezes. Como por exemplo? O cinzeiro - não é utilizado há (estou a fazer as contas, toda orgulhosa)... vai fazer oito meses no próximo Domingo - continua com ar de quem, no século passado, foi utilizado; na porta do pendura continuaram vestígios de lixo; o espelho retrovisor tem uma mancha... and "sho one, and sho one". É que se o fazem... façam-no bem!
E depois deste GRANDE devaneio... vou ali afogar as mágoas num petit gateau - alguém é servido?

publicado por K às 19:54

Eu ontem, quase de madrugada (8h) fui abastecer tb para ir para a reunião. Já mangueira na mão, sem perceber pk raio não estava o tampão da gasolina aberto!!!

Uns segundos de duvida existencial e lá me lembrei de ir lá dentro do Golf carregar no botão.

É o que dá andar a essas horas e sem café....
Shadow a 30 de Março de 2010 às 22:25

:) como te entendo bem!!! Mas tu ainda tinhas desculpa: era, claramente, de madrugada. Comigo, sendo ao final do dia, é que já não há muita desculpa... vidas!
K a 30 de Março de 2010 às 23:17

K,
como te encontro no facebook pá?
Shadow a 30 de Março de 2010 às 23:38

Não é evidente...
manda um mail para o endereço do blog: umdiatrasdoutro@gmail.com e de lá "falamos"
;)
K a 30 de Março de 2010 às 23:45

Tinhas perguntado aqui à prima que tem um ibiza :) é só uma questão de jeito :) eheheh
sónia a 30 de Março de 2010 às 23:04

de jeito ou de falta dele! E olha que já me passou muito carrinho pelas mãos e nunca tal me tinha acontecido :$
K a 30 de Março de 2010 às 23:17

Esta bela história do ibiza:)
Obrigado pelo petit gateau...tá aprovado! E por aturares a bela da neura!
Maria a 31 de Março de 2010 às 10:08

tonta! Isso é lá coisa para se agradecer? o "aturar" a neura? somos umas para as outras (neuras e "nozes"), certo? Essas coisas não são para se "obrigadarem".
Ainda bem que gostaste do petit gateau - já sabes, com neura, ou sem ela... és sempre bem-vinda e, pode ser que haja un petit gateau.
Quanto à história do ibiza... diz antes: totózisse da K, isso sim!
;)
K a 31 de Março de 2010 às 16:34


mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)