Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Domingo, 21 de Setembro, 2008

Ele há de todos os formatos e feitios, para todos os gostos, como, aliás, quase tudo nesta vida.

As minhas, geralmente, são grandes, porque levo sempre o que preciso, o que alguma vez poderei precisar, o que não sei, mas é melhor levar na mesma... enfim... estão a ver a mala do "sport billy" - agora que penso nisso, esse herói de B.D. devia ser um pouco "abichanado". Então andava com mala, qual Lello?!? Adiante... - geralmente as minhas malas são tipo a do sport billy. Também acontece, por vezes, que me esqueci de algo importante... típico.

Sim, claro que tenho imensa dificuldade em encontrar algumas coisas nas minhas malas. Isto acontece, geralmente, quando está alguém ao meu lado e me pediu qualquer coisa. Deve ser mais uma das leis de Murphy. Ou quando estou na fila para pagar qualquer coisa e há sempre aquele cartão que não parece... vidas!

Agora o que eu não estava à espera que me acontecesse (e com esta coisa de nas últimas semanas ter andado com carros de aluguer diferentes) é que com esta modernice que os carros trazem agora de "sensores" para verificarem se temos o cinto de segurança colocado ou não - que eu acho bem, atenção - os sensores sejam actuados pelo peso da minha mala...

Das duas três, sabemos que nos devemos preocupar com o peso da nossa carteira quando isso acontece, os sensores não estão calibrados, existe uma falha técnica.

Atendendo ao facto de que isto sucedeu com quatro carros distintos - sendo que o último nem sequer é da mesma marca e modelo dos anteriores. Sim, porque eu já estava a pensar que seria um problema de série.... not! - vai na volta, o problema é mesmo do peso excessivo da minha carteira. Oh vida!

E primeiro que eu descobrisse que era a minha carteira?

Foi do melhor.

Geralmente tenho-a no banco do pendura - quando faço mtos trajectos no interior da cidade, vai no chão, aos pés do suposto pendura - numa das vezes que tive de ir à carteira tirar qualquer coisa, devo tê-la deslocado face ao sensor, começou o "pi-pi-pi-pi" a avisar-me que o cinto de segurança não estava colocado. Como não me avisavam de que lugar se tratava... pensei, assim de imediato, que seria o meu. Toca de tirar e voltar colocar. Nada. O mesmo som irritante... até que me lembrei de olhar para o lado e... deslocar a minha carteira da posição: basicamente impedir que ela se refastelasse e estivesse encostada ao apoio lombar. Remédio santo: o sensor calou-se.

Moral da história:

"Sabemos que está na altura de repensar o que carregamos diariamente nas nossas carteiras, quando os sensores, nossos amiguinhos, dos cintos-de-segurança nos avisam".

A ver se hoje, ao final do dia, trato disso.

Bem vistas as coisas, é para meu bem.

Em alternativa, continuamos a carregar pesos hediondos que só nos fazem mal, principalmente à coluna, e colocamos a nossas carteiras no chão. Assim não há sensores que resolvam chatear-nos.

Nahhhh eu prefiro a primeira hipótese. Mas sou eu...

tags:
publicado por K às 12:43

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)