Há dias excelentes, memoráveis. Há também os menos bons. Os marcantes. Os decisivos. Este espaço é, apenas, um conjunto de desabafos fruto dos dias que vou percorrendo e da minha (in)sanidade mental. E, tal como eu... tem dias!

Quinta-feira, 18 de Setembro, 2008

Ainda estou a recuperar do dia de ontem. Tive de ir a Aveiro. Ida e volta, no mesmo dia. Nada de especial... pois. Mais a mais com a nova auto-estrada... é um tirinho. Poixxxx

É mais ou menos isso.

Desta vez, como aliás na semana passada, o carro de aluguer que me saiu na rifa não tinha antena exterior. Resultado: mais de metade do caminho a ouvir "estática", ou melhor ainda, rádios locais com músicas cheia de inspiração, pimba no seu melhor. Depois vem a parte em que, como o troço é novo, ainda não tem estações de serviço a funcionar - daquelas que nos cobram 1 euro por um mísero café. Depois de um dia a trabalhar, tendo acordado cedo... é complicado. Mas tem de se fazer.

Hoje também tive de acordar muito cedo, mas por outras razões.

Deixei a minha mãe no hospital, onde está a fazer fisioterapia - acho que foi acordar as "auxiliares", mas teve mesmo de ser. Às 08h já estava sentada no escritório. Tinha de mandar os elementos para o advogado, para tratar do divórcio. Ainda deu tempo para por umas coisas de trabalho em dia, antes de ter arrancado para o local de trabalho que hoje estava destinado. Ah e passar por duas instituições bancárias para perceber se têm alguma proposta de crédito à habitação que seja mais vantajosa do que a que tenho actualmente.

Sim, porque é uma das coisas que vou ter de tentar negociar - seja com o actual ou outro banco.

Isto porque ainda não me consegui decidir, de vez, se quero ficar nesta casa... ou não.

Por um lado gosto dela, não há como negar - a questão das "memórias", em menos de nada, creio, consigo dar uma volta à mobília para tornar a coisa diferente - Gosto das áreas, do pavimento... etc. e tal.

Há outras coisas que gosto menos... bem menos.

Mas ainda não consegui perceber o que pesa mais na balança... se os "prós" ou os "contra".

Para além disso, no lado dos "prós", tenho a proximidade com a casa dos meus pais, dos meus amigos... e se é verdade que agora vou re-acordar para uma nova realidade, talvez não seja muito mau, pelo menos para já, manter-me por aqui.

Do lado dos "contra" - para além do óbvio, tenho a questão do dia-a-dia. Ainda perco algum tempo antes de chegar ao trabalho. Para além de outros gastos. Claro que isso em breve também é capaz de mudar....

A verdade é que tenho um nó na cabeça, no que toca a esse assunto.

Do que tenho procurado de casas, mais perto do trabalho, são todas caríssimas.

E se me vejo aflita para pagar este empréstimo... que fará outros...

Enfim, seja como for, vou tentar negociar a coisa e ver o que dá.

Nesta altura do campeonato, todos os tostões contam, mesmo.

Amanhã lá tenho de ir ao Porto. Mas desta vez, vou experimentar uma coisa diferente.

Vou de comboio e à minha espera estará um carrinho para eu levar até ao meu destino.

À partida vou conseguir fazer alguma coisa com o tempo gasto na viagem: dormir, trabalhar...

A ver vamos como corre a experiência.

O único senão é que tenho de acordar às 05h da manhã :O :O :O so-cor-ro!!!

Pausa porque tocou o tufone.

Isto não dá para acreditar. Acabei de receber uma chamada a dizer que hoje eu estive envolvida num acidente às 08:30 e que entreguei o carro de aluguer sem dar cavaco da coisa.

Isto só a mim. Devem estar a brincar comigo.

Pois se às 08h eu já estava sentada no meu "estaminé", com o carro de aluguer estacionado no local do costume... como é possível?

Uindo, só me faltava agora esta!

Está tudo louco. Mesmo!

A ver vamos no que isto vai dar. É que não me faltava mesmo mais nada.

Mudando um pouco de assunto, que isto hoje já vai longo e não tarda tenho de ir jantar - hoje é com a minha madresita.

Ligou-me há bocadinho um dos meus primos. Um dos que é muuuuuuito chegado, quase como irmão mais velho. E, claro, ficou estupefacto (a palavra correcta seria parvo, mas poderia ser ofensiva e não vale a pena ir por aí, ele é um grande "bacano") com a notícia.

"Assim de repente?" - perguntava ele, quando até tinha iniciado o "tufonema" a perguntar por nós e que estava cheio de saudades nossas - "É que até estou sem reacção".

Combinamos um dia destes (breve) encontrar-mo-nos para por a conversa em dia.

Eu foi confortando-o (parece que é a minha sina, está visto): "Agora já não serás o único na família que está "divorciado"". E é verdade.

Para a frente é que é o caminho.

publicado por K às 17:45

mais sobre mim
Gosto de...
Dias de Verão: praia, calor. Dias de Inverno: frio e neve. Família. Amizade sincera. Amor. Cantar a plenos pulmões. Dançar até cair para o lado. Boa gargalhada. Fazer tudo e coisa nenhuma. Música. Bom livro. Bom filme. Gelados. Chiquelates. Café. Chá. Dormir. Acordar com vontade de gozar o dia. Conversar horas a fio. Silêncio. Mar. Lua. Estrelas. Guiar sem destino. Viajar. Fotografia. Cheiro a "chuva molhada". Campo. Cidades. Cães. Ar livre. Futebol. Escrever. Pão quentinho com manteiga. Não dar pelo passar do dia. Férias. Trabalho... (nota: ordem aleatória)